US $3 trilhões em infraestrutura tirarão o mundo da crise?

US $3 trilhões em infraestrutura tirarão o mundo da crise?

O governo Biden anunciou um plano trilionário de investimentos em infraestrutura com o objetivo de superar a maior crise capitalista da história, que pode chegar a US $3 trilhões. Confira:

  • Para o setor de transportes, seriam destinados US $620 bilhões. 
  • Para as rodovias, US $115 bilhões.
  • Para segurança no trânsito, US $20 bilhões.
  • Para o transporte público, US $85 bilhões.
  • Para as ferrovias, US $80 bilhões.
  • para aeroportos, US $25 bilhões.
  • Para incentivar os carros elétricos, US $174 bilhões.
  • Para expandir a banda larga da Internet, a água potável, a rede elétrica e moradias de alto padrão, seriam US $650 bilhões. 
  • Para melhorar o fornecimento elétrico, US $100 bilhões.
  • Para a construção de escolas públicas, US $100 bilhões.
  • Para a melhora das pesquisas, que inclui as universidades e as agências de espionagem, seriam US $180 bilhões.
  • Para impulsionar a indústria manufatureira nos Estados Unidos, seriam necessários US $300 bilhões; US $50 bilhões dos quais seriam destinados à fabricação de semicondutores.
  • Seriam destinados à criação de empregos, US $100 bilhões.
  • Para o cuidado de idosos ou pessoas com deficiências, seriam destinados US $400 bilhões.

Ainda há uma preparação para um novo plano de US $1 trilhão adicional destinados ao sistema de saúde e ao seguro desemprego.

Esses valores se somam aos US $10 trilhões que já foram repassados desde março do ano passado e que não conseguiram reativar a economia. Isso sem considerar os trilhões que são rotineiramente repassados às grandes empresas por meio de taxas de juros em torno de 0% e isenções mil.

As grandes empresas estão dispostas a pagar pelo plano?

Para cobrir os custos do plano de infraestrutura, o governo Biden pretende aumentar os impostos sobre as empresas de 21% para 28%, e de 13% para 21% sobre os lucros obtidos no exterior, o que implica que o valor total seria recuperado em aproximadamente 15 anos.

Um ponto central é que as grandes empresas nos Estados Unidos pagam baixíssimos impostos e que uma boa parte dos lucros nem sequer voltam aos Estados Unidos já que ficam em paraísos fiscais.

Desde o governo Reagan, na década de 1980, até agora a concentração da riqueza aumentou de maneira obscena. No ano passado, os lucros das grandes empresas aumentaram por conta dos repasses de recursos públicos às grandes empresas.

As taxas de lucro se tornaram ainda maiores com o aumento da especulação financeira, que disparou nos últimos 20 anos com as medidas aplicadas por Greenspan, principalmente nos governos de Bush Jr.

Acreditar que as grandes empresas estariam dispostas a sustentar um plano de infraestrutura é no mínimo ridículo.

Até agora todas as medidas adotadas pela burguesia para superar a crise têm se focado em salvar os próprios lucros, até porque o problema principal que é “queimar” os volumes escandalosos de capitais fictícios/ especulativos é justamente o que ela não quer fazer.

A especulação financeira que move acima de 20 vezes o que movimenta a economia real, que já é muito parasitária, tem se convertido num componente fundamental do funcionamento do capitalismo.

A verdadeira “saída” capitalista da crise atual é a guerra e o massacre dos trabalhadores.

A saída revolucionária da crise é a destruição do capitalismo, que começa pela destruição do estado burguês e a expropriação dos grandes capitalistas.

Levante ! Organize-se! Lute!
A hora de Lutar é Agora!

Clique acima para saber sobre as nossas reivindicações!

close

🕶 Fique por dentro!

Deixe o trabalho difícil para nós. Registe-se para receber as nossas últimas notícias directamente na sua caixa de correio.

Nunca lhe enviaremos spam ou partilharemos o seu endereço de email.
Saiba mais na nossa política de privacidade.

Artigos Relacionado

Deixe um comentário

Queremos convidá-lo a participar do nosso canal no Telegram

¿Sin tiempo para leer?

Ouça o podcast da

Gazeta Revolucionaria