FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SÃO PAULO ESTÃO MOBILIZADOS CONTRA A RETIRADA DE DIREITOS E SÃO TRATADOS COMO CASO DE POLÍCIA.

FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SÃO PAULO ESTÃO MOBILIZADOS CONTRA A RETIRADA DE DIREITOS E SÃO TRATADOS COMO CASO DE POLÍCIA.

Matéria original de : NO ENTANTO ELA SE MOVE

Os funcionários públicos do município de São Paulo, estão lutando contra o Sampaprev 2 desde final de outubro de 2021 até hoje, e pretendem continuar na luta até que este projeto seja excluído.  É uma luta árdua contra uma nova Previdência Municipal que quer confiscar 14% do salário dos ativos e aposentados, podendo chegar até 22% esse desconto.

Temos professores e funcionários que estão acampados em frente a Câmara Municipal, outros que estão em greve e outros que comparecem nos dias decisivos de votação para lutar. E hoje, dia 10/11/2021, depois da comissão da CCJ ter considerado o Projeto como inconstitucional, o Vereador Milton Leite colocou o mesmo para ser discutido na Câmara e ignorou o relatório da CCJ.

O Prefeito Ricardo Nunes, em uma entrevista à rádio Eldorado, mentiu dizendo que os ativos não pagam a previdência, mente sobre o rombo que existe nas contas da Prefeitura, aumenta o seu próprio salário e o salário dos vereadores, vota projeto que favorece os Comissionados e quer prejudicar o funcionário público.

Mas vamos contar sobre hoje, dia 10/11/2021, professores e demais funcionários públicos nas ruas em frente a Câmara Municipal, lutando por seus direitos pacificamente, mesmo quando são insultados, e se deparam com GCM e Policiais do Grupamento do Choque, com bombas de gás lacrimogêneo, balas de borracha, expulsando os manifestantes da frente da Câmara, tudo isso acontecendo e os vereadores, comandados pelo Presidente da Câmara Milton Leite continuaram o debate e a votação sobre esse projeto.

Novamente o Vereador Holiday chamou os professores de Vagabundos e de vândalos, contando com o apoio do Vereador Rubinho Nunes, aliás, há vídeos mostrando a forma como os assessores do Vereador Holiday tratam os funcionários que estão na luta.

A polícia e a GCM tiraram os manifestantes da frente da Câmara, foram atrás dos mesmos que estavam no entorno, pacificamente, protestando contra um projeto que prejudica de forma excessiva os funcionários públicos. Vereadores que apoiam os funcionários são atacados durante suas falas, são silenciados pelo Presidente da Câmara. E a leitura do Projeto, feita pelo Holiday é rápida, ligeira de forma não clara. Para votar o massacre, a Câmara chamou o choque para afastar os manifestantes, pois alguns representantes do povo não são capazes de votar esse projeto olhando nos olhos dos funcionários públicos. Sem falar que, enquanto os funcionários públicos foram obrigados a voltarem para o presencial, parte dos vereadores votam em home-office mesmo não tendo nenhuma comorbidade.

Link da Sessão da Câmara do dia de hoje 10/11/2021: https://youtu.be/4AjK5Bvc2wA, entrem assistam e deixem as suas opiniões.

A luta continua e os ataques também. Precisamos conscientizar a população que sem o funcionário público, os serviços serão terceirizados e privatizados e o acesso à eles pela maior parte da população será cada vez mais difícil e caro.

ACORDEM E DEFENDAM O FUNCIONÁRIO PÚBLICO. O SERVIÇO PÚBLICO É PATRIMÔNIO DO POVO BRASILEIRO, NÃO VAMOS PERMITIR QUE SEJA DESTRUÍDO

Levante ! Organize-se! Lute!
A hora de Lutar é Agora!

close

🕶 Fique por dentro!

Deixe o trabalho difícil para nós. Registe-se para receber as nossas últimas notícias directamente na sua caixa de correio.

Nunca lhe enviaremos spam ou partilharemos o seu endereço de email.
Saiba mais na nossa política de privacidade.

Artigos Relacionado

Deixe um comentário

Queremos convidá-lo a participar do nosso canal no Telegram

¿Sin tiempo para leer?

Ouça o podcast da

Gazeta Revolucionaria