Teses sobre os ensinamentos em relação ao Afeganistão

Teses sobre os ensinamentos em relação ao Afeganistão

Um debate importante que tem acontecido sobre os acontecimentos do Afeganistão é se a derrota do imperialismo norte-americano teria sido positiva ou negativa. Os mais aloprados até questionam se o imperialismo norte-americano teria sido derrotado.

No caso da imprensa burguesa se trata da conhecida campanha de guerra psicológica para relativizar a crise capitalista e a decadência generalizada do sistema.

No caso da esquerda burguesa e pequeno burguesa, se trata da conhecida política de ecoar a campanha da imprensa burguesa em cima de critérios morais.

Tese 1: O capitalismo mundial vive a maior crise de todos os tempos. Isso implica no enfraquecimento estrutural e no fortalecimento da agressividade super estrutural, o que implica no fortalecimento repressivo para manter as relações sociais de produção atuais, a dominação do punhado de parasitas que controlam a propriedade privada fundamental.

Tese 2: O imperialismo, principalmente o imperialismo norte-americano, tem como saída para a sua crise a saída militar. Nesse sentido, impulsiona guerras para manter e aumentar o controle do mercado mundial. Para isso, aumenta a repressão para impor a sua “paz”, a tranquilidade social, para o qual se vê obrigado a massacrar os trabalhadores e os povos do mundo, principalmente os povos oprimidos.

Tese 3: A derrota do imperialismo norte-americano não aconteceu em agosto de 2021. Se trata de um processo que data do fracasso da invasão ao Afeganistão que durou 20 anos a um custo de mas de US$ 2 trilhões pelo menos.

Tese 4: O Talibã é um grupo de milicianos camponeses, principalmente pashtuns. Eles têm muitas limitações, fundamentalmente por causa do seu caráter de classe. Mas sob o ponto de vista da luta geral contra o capitalismo o que importa é que eles derrotaram a maior potência mundial, o principal opressor dos povos latino-americanos e do mundo.

Tese 5: A opressão das mulheres pelo fundamentalismo islâmico é parte do reacionarismo desses agrupamentos. Mas isso não implica que o imperialismo seja menos perigoso e mais democrático. É exatamente o oposto; o imperialismo e a burguesia impulsionam esses grupos em favor dos próprios interesses, tal como o imperialismo norte-americano o fez com o próprio Talibã desde 1979 ou hoje o faz com o Estado Islâmico e outros grupos. Às vezes, a evolução das contradições os faz perder o controle.

Tese 6: A base de todo fato político deve ser analisado em cima da luta de classes, em primeiro lugar, e não em cima de fatores morais. Muito menos em cima dos valores morais burgueses do “bem e do mal”.

Tese 7: O imperialismo norte-americano atua como uma supra polícia mundial, a maior estrutura contrarrevolucionária de opressão dos trabalhadores e das mulheres e de todos os setores oprimidos no mundo. Os Talibãs somente buscam consolidar seu controle no Afeganistão; no máximo, estende-lo às regiões habitadas por pashtuns, como as regiões fronteiriças do Paquistão. Um militante revolucionário latino-americano que deveria portanto dizer sobre os acontecimentos no Afeganistão?

Tese 8: Toda derrota dos nossos inimigos deve ser apoiada o que não implica em que devemos apoiar quem o derrotou em todos os aspectos. Muito menos nos aspectos ideológicos.

Tese 9: A derrota histórica do imperialismo no Afeganistão mostra que o imperialismo e o capitalismo mundial podem ser derrotados.

Levante ! Organize-se! Lute!
A hora de Lutar é Agora!

close

🕶 Fique por dentro!

Deixe o trabalho difícil para nós. Registe-se para receber as nossas últimas notícias directamente na sua caixa de correio.

Nunca lhe enviaremos spam ou partilharemos o seu endereço de email.
Saiba mais na nossa política de privacidade.

Artigos Relacionado

Deixe um comentário

Queremos convidá-lo a participar do nosso canal no Telegram

¿Sin tiempo para leer?

Ouça o podcast da

Gazeta Revolucionaria