Os fatos mais relevantes do ano de 2020 (8 pontos)
a guerra contrarrevolucionária anda de mãos dadas com as revoluções que pela primeira vez na história bate com força em todos os países desenvolvidos.

Os fatos mais relevantes do ano de 2020 (8 pontos)

2020

1) O fato mais relevante de 2020, foi evidentemente a pandemia do Covid-19 que estourou em março.

O objetivo principal foi camuflar a crise capitalista que tinha se aberto no final de 2019, que de fato era a continuidade da crise de 2008 que nunca tinha se fechado.

2) Os repasses de recursos aos grandes capitalistas têm sido muito mais obscenos que o “normal”.

Somente nos Estados Unidos, desde março, houve o adicional de US$ 9 trilhões ou seis anos da produção total do Brasil.

Falando em Brasil, o Governo repassou aos grandes bancos R$ 1,250 trilhões em março, quase o que gasta em um ano (desconsiderando a dívida)

3) Conseguiram impor parcialmente a chamada “nova normalidade”. As concentrações no transporte público ou para trabalhar ficaram permitidas. As concentrações para manifestar-se foram proibidas.

Acabaram assim com as gigantescas manifestações no Chile, na França e principalmente barraram o contágio para outros países e regiões.

4) Na pandemia, os flagelos sociais dispararam, a começar pelo desemprego e os ataques generalizados dos abutres capitalistas.

Dada a impossibilidade de obter lucros pelos métodos tradicionais (como abrir novas fábricas, por exemplo), se dedicaram a arrancara até a última gota de sangue dos trabalhadores e os povos.

5) As grandes empresas têm se salvado da bancarrota, mas a crise continua avançando e aperta a cada dia mais

Não por acaso há a chamada nova onda do Coronavírus. Parece que todas as demais doenças, como o 1,5 milhão de crianças mortas por diarreia, os 1,4 milhões de mortos por tuberculose, os mortos por câncer, fome etc. teriam desaparecidos.

No Brasil, houve a maior greve da América Latina, nos Correios, que durou 36 dias.

O levante popular foi retomado no Chile e apareceu no Peru, Guatemala, Colômbia e outros países.

7) A “esquerda” oficial se passou com mala e cuia para o campo da direita.

Enquanto os povos são massacrados se dedica a legalizar o massacre. Mas o faz desde os aparatos do estado. A Novidade é que perdeu as bases militantes. Com isso o regime burguês, as baionetas e a repressão, fica mais evidente.

8) Os abutres capitalistas buscam desesperadamente uma guerra como “saída” à sua crise, para evitar a sua bancarrota e continuar controlando o mercado mundial.

Mas a guerra contrarrevolucionária anda de mãos dadas com as revoluções que pela primeira vez na história bate com força em todos os países desenvolvidos

Para o próximo período devemos esperar guerras e revoluções, o enfrentamento aberto entre os trabalhadores e os povos de um lado e a burguesia mundial e seus agentes do outro.

Levante ! Organize-se! Lute!
A hora de Lutar é Agora!

close

🕶 Fique por dentro!

Deixe o trabalho difícil para nós. Registe-se para receber as nossas últimas notícias directamente na sua caixa de correio.

Nunca lhe enviaremos spam ou partilharemos o seu endereço de email.
Saiba mais na nossa política de privacidade.

Artigos Relacionado

Deixe um comentário

Queremos convidá-lo a participar do nosso canal no Telegram

¿Sin tiempo para leer?

Ouça o podcast da

Gazeta Revolucionaria