Assange não extraditado, mas a liberdade de imprensa é esmagada

Assange não extraditado, mas a liberdade de imprensa é esmagada

Julian Assange não será extraditado aos Estados Unidos de acordo com o resultado do julgamento realizado na Inglaterra, onde enfrenta condenações que somam 173 anos. Mas todas as argumentações da defesa foram negadas e o governo dos Estados Unidos ainda tem o direito de apelação.

Um jornalista de luta tinha a obrigação de, desde 2010, começar cada apresentação ou artigo rendendo uma homenagem à coragem de Julian Assange pelos valiosos serviços prestados à Humanidade. A campanha pela sua liberdade foi muito aguada; a esmagadora maioria ficou paralisada com a pressão do imperialismo.

Assange não será extraditado devido a uma “tecnicalidade”: ele se encontraria à beira da loucura. Nenhuma das atrocidades cometidas pelo imperialismo norte-americano e seus aliados foi nem sequer considerada, até porque a Grã Bretanha foi parte do círculo dos aliados próximos, os chamados “5 Eyes”, do qual também fazem parte Canadá, Nova Zelândia e Austrália.

O grande derrotado nessa decisão é a liberdade de imprensa que foi esmagada. A mensagem foi clara: quem ousar revelar a brutal ditadura com a qual o grande capital esmaga a maioria da população mundial terá o mesmo destino de Assange.

Wikileaks se tornou muito popular após ter publicado o vídeo que acabou sendo denominado “Assassinato colateral no Iraque”

Em 2007, um helicóptero dos Estados Unidos metralhou um grupo de civis no qual se encontravam dois jornalistas da agência de notícias Reuters.

Em 2010, o Wikileaks começou a publicar um conjunto de milhares de documentos secretos do Departamento de Estados que expunham a brutal opressão do imperialismo norte-americano sobre o mundo, incluindo os seus aliados e agentes locais.

Assange foi vítima de descuido no seu comportamento pessoal e acabou sendo acusado de “estupro” na Suécia onde teria mantido relações sexuais com duas mulheres sem preservativos. Posteriormente, ficou claro que ambas tinham vínculos com a CIA. Isso bastou para que os verdadeiros objetivos viessem à tona.

Assange foi preso em Londres e foi colocado à disposição das armações dos Estados Unidos. Depois dele ter ficado refugiado na Embaixada do Equador durante sete anos, sem a Inglaterra ter aceitado concede-lhe um salvo-conduto mesmo depois da Suécia ter levantado as acusações contra Assange, o governo de Lenin Moreno do Equador o expulsou da Embaixada numa ação sem precedentes. Em contrapartida, esse governo teve a liberação de um empréstimo por US$ 4 bilhões pelo FMI (Fundo Monetário Mundial), facilitada pelo governo Trump.

Em rumo acelerado ao maior colapso capitalista mundial (disfarçado de 3a. onda de Covid)

Parafraseando as palavras do famoso discurso de Ernesto Che Guevara nas Nações Unidas, “não devemos confiar no imperialismo nem um tantinho assim …”. Essas palavras ficam ainda mais atuais considerando o momento histórico em que nos encontramos.

A maior crise capitalista da história se encaminha a um gigantesco e novo colapso. Os abutres capitalistas buscam se salvar a crise e da bancarrota disfarçando-a de uma terceira onda de Covid-19 sob a qual continuar com os trilionários repasses de recursos que estão na base dos lucros obscenos das grandes empresas enquanto o mundo de conjunto continua indo ao precipício.

Os abutres capitalistas estão mais agressivos do que nunca e para salvar-se da sua crise buscam impor ditaduras ainda mais pinochetistas e nos levam a uma grande guerra. Quem tiver dúvidas devia consultar o novo super time da guerra que foi empossado nos Estados Unidos.

O papel dos verdadeiros democratas e revolucionários é denunciar a brutalidade do capitalismo em crise e atuar para resistir, para organizar a luta dos trabalhadores e dos povos. A contrarrevolução não anda sozinha; ela anda de mãos dadas com a revolução, e vice-versa.

Agora cada vez mais nos colocamos perante definições e delimitação fundamentais. De que lado estamos?

Para o próximo período, está colocado o enfrentamento entre os trabalhadores e os povos de um lado, e a burguesia e seus agentes do outro.

Levante ! Organize-se! Lute!
A hora de Lutar é Agora!

close

🕶 Fique por dentro!

Deixe o trabalho difícil para nós. Registe-se para receber as nossas últimas notícias directamente na sua caixa de correio.

Nunca lhe enviaremos spam ou partilharemos o seu endereço de email.
Saiba mais na nossa política de privacidade.

Artigos Relacionado

Deixe um comentário

Queremos convidá-lo a participar do nosso canal no Telegram

¿Sin tiempo para leer?

Ouça o podcast da

Gazeta Revolucionaria