A cronologia (suspeita) da pandemia

A cronologia (suspeita) da pandemia

O Congresso 201, que ocorreu nos Estados Unidos, em Nova York, em 18 de outubro de 2019, simulava um “exercício de pandemia de alto nível”, semelhante ao Coronavírus. As simulações deixaram um saldo de 65 milhões de mortos. Contou com a participação da Fundação Bill e Melinda Gates, do Fórum Econômico Mundial e do Centro John Hopkins de Segurança da Saúde, buscando mostrar a necessidade de “acordos público-privados” no caso de pandemias graves para evitar “as consequências sociais e econômicas de alto impacto”.

O fechamento do laboratório de pesquisa bacteriológica militar de Fort Detrick, alguns dias antes do início da crise do coronavírus também não foi explicado.

O mesmo aconteceu com os jogos militares que ocorreram na Província de Wuhan, na China, dos quais participaram militares de uma divisão bacteriológica dos Estados Unidos, que obteve o super modesto 35º lugar na competição. Na China, o coronavírus tipo 19-C apareceu, sem que tivessem aparecido antes os tipos A e B, a partir dos quais ele deve ter evoluído por meio de uma mutação genética.

A pandemia de coronavírus foi declarada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) em março de 2020 com menos de 5% dos casos de mortes em relação aos infectados. No caso da Itália, atingiram 10%; de acordo com as regras, uma pandemia é declarada após as mortes excederem 12% dos casos.

De acordo com o relatório de 31 de dezembro de 2017, a OMS recebeu mais de US$ 2,5 bilhões do Banco Mundial, da União Europeia e de ONGs vinculadas a grandes capitalistas, como a Fundação Bill. e Melinda Gates, que financia a GAVI (Aliança pelas Vacinas), que doou mais de US$ 300 milhões e participa de investimentos em grandes laboratórios.

As empresas doadoras privadas incluem vários grandes laboratórios que por trás da GAVI, incluindo Gilead Science, GlaxoSmithKline, Hoffmann-LaRoche, Sanofi Pasteur, Merck Sharp e Dohme Chibret e Bayer AG.

A cronologia da política de guerra

Em 16 de março de 2018, Donald Trump demitiu toda a equipe de Resposta Rápida às Pandemias dos Estados Unidos.

Em 30 de junho de 2019, um tipo de pneumonia grave foi identificado em Springfield, Virgínia, perto de Fort Detrick, que é um importante laboratório bacteriológico.

Entre os dias 12 e 17 de julho de 2019, doenças respiratórias não identificadas apareceram em um centro médico perto de Fort Derrick, deixando um saldo de 54 casos e três mortes. Mais tarde, apareceu como uma epidemia de pneumonia inexplicável em Burke, a 56 minutos de Fort Derrick.

No dia 6 de agosto de 2019, o CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças – cdc.gov) fechou o laboratório de guerra bacteriológica de Fort Detrick, o principal laboratório dos Estados Unidos por razões de “segurança nacional”, sem fornecer explicações.

No dia 7 de agosto de 2019, falece Kary Mullis o prêmio Nobel que tinha inventado os testes PCR (Proteína C Reativa) e que tinha declarado publicamente que não eram confiáveis para determinar a existência de doenças.

No mês de setembro de 2019, uma pneumonia misteriosa foi relatada em várias partes dos Estados Unidos, com os mesmos sintomas do Covid-19.
Entre os dias 17 e 18 de setembro de 2019, ocorreu o Urban Outbreak de 2019, liderado pela Universidade de Serviços Uniformados em Ciências da Saúde (USUHS), do Centro Nacional de Medicina de Desastres e Saúde Pública (NCDMPH – Centro Nacional de Medicina de Desastres e Saúde Pública) e a Faculdade de Guerra Naval dos Estados Unidos (NWC) no Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins (JHU-APL) em Laurel, Maryland. Essas simulações foram desenvolvidas como jogos analíticos pelo Programa de Resposta Humanitária (HRP) da NWC como resultado de seu Workshop de Resposta Humanitária Cívico-Militar realizado em 2018.

Entre os dias 14 de setembro e 10 de outubro de 2019, 325 soldados que formaram parte da equipe militar dos Estados Unidos, treinaram para os Jogos Militares de Wuhan em Fort Belvoir, localizado a 15 minutos de Fort Derrick que foi fechados, sem explicações, por razões de “segurança nacional”.

No dia 30 de dezembro, a Província de Wuhan anunciou uma “doença viral desconhecida”. No dia 3 de janeiro de 2020, a China enviou informações atualizadas ao governo dos Estados Unidos. No mesmo dia, os Estados Unidos assassinaram o general iraniano Qasem Soleimani, que se encontrava em uma missão oficial em Bagdad, capital do Iraque.

No dia 8 de janeiro, a China anunciou que o vírus tinha sido sequenciado e que se tratava do Sars-Cov-2. Em grande medida esse sequenciamento foi realizado por meio de extrapolações realizadas mediante o uso de programas computacionais.

Levante ! Organize-se! Lute!
A hora de Lutar é Agora!

close

🕶 Fique por dentro!

Deixe o trabalho difícil para nós. Registe-se para receber as nossas últimas notícias directamente na sua caixa de correio.

Nunca lhe enviaremos spam ou partilharemos o seu endereço de email.
Saiba mais na nossa política de privacidade.

Artigos Relacionado

Deixe um comentário

Queremos convidá-lo a participar do nosso canal no Telegram

¿Sin tiempo para leer?

Ouça o podcast da

Gazeta Revolucionaria